Você sabia?

Você encontrará aqui uma lista de curiosidades sobre os símbolos da OBM.

    • Aroldo: a mascote da OBM

      A Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM) é uma competição séria, mas descontraída. Para conferir uma leveza maior ao evento, aliviar os estudantes do linguajar matemático e dar um toque de bom humor à competição, criamos uma mascote;  afinal, isto é uma olimpíada! A mascote baseada na idéia do símbolo não poderia ter outro nome: Aroldo, a mascote feito de aros. Ela figura em revistas, cartazes, website, etc., sempre interagindo com a publicação onde esteja. Os Aroldos, têm propriedades únicas: Seus aros nunca ficam de perfil e é possível enxergar através deles, porém quando seus braços e pernas se colocam atrás do seu corpo eles não são visíveis.

    • A logo da OBM

      A família tipográfica escolhida para a logomarca da Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM) é baseada na Kabel, originalmente lançada pela fundição Klingspor em 1927 e desenhada por Rudolf Koch. Ela foi selecionada por ser uma das primeiras fontes geométricas sem serifa e com características das tradicionais fontes humanistas. É uma excelente opção para simbolizar o envolvimento do homem com a Matemática. O desenho essencialmente circular de suas letras se harmoniza muito bem com os anéis do símbolo.

    • O símbolo

      O símbolo adotado para representar a nova Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM), a partir do ano de 1998, foi concebido a partir de um problema matemático que utiliza sete circunferências. As circunferências se posicionam de maneira peculiar: uma, a maior, representada por um anel cinza, delimita o símbolo externamente; outra, também um anel cinza, delimita o símbolo internamente e as cinco restantes, representadas por anéis coloridos, se colocam enfileiradas no caminho entre as duas primeiras.

      Note que cada anel colorido está tangente aos dois anéis cinzas e aos dois anéis coloridos adjacentes, simultaneamente. A propriedade mais curiosa, no entanto, é que os anéis coloridos podem se mover pelo caminho delimitado pelos anéis cinzas e desde que um deles seja tangente a ambas as circunferências, serão mantidos sempre os quatro pontos de tangência.

    • Neste problema podem ser utilizados três ou mais anéis coloridos. Naturalmente, optou-se por usar cinco: em preto, vermelho, verde, amarelo e azul, numa alusão aos anéis olímpicos. A ordem com que os anéis foram enfileirados foi determinada de forma que em sua posição oficial (o anel vermelho com a maior dimensão), eles estejam colocados de acordo com a bandeira olímpica. Enquanto nas olimpíadas os anéis simbolizam os continentes competidores, aqui eles simbolizam os estudantes competidores, numa corrida em círculos, sem vencedores, em que todos têm, em algum momento, a oportunidade de estar no ponto máximo e logo depois conceder o seu lugar ao seguinte, numa constante renovação. A eterna tangência entre os anéis reforça a idéia de colaboração mútua entre os competidores e o apoio integral da organização.

      O cinza dos anéis externo e interno foi selecionado com o intuito de conferir neutralidade aos elementos que representam a organização do evento e ainda permitir uma boa legibilidade do símbolo em fundos claros e escuros.

    • Website e revista EUREKA!

      A revista EUREKA! traz na capa o símbolo da OBM, contido em outro símbolo, maior. O mesmo acontece nas páginas do site da OBM.